Como o Pilates ajuda a prevenir gripes e resfriados?

Basta que as temperaturas baixem para que os resfriados e as gripes comecem a atrapalhar a rotina de muitos brasileiros. Sintomas como coriza, dor de garganta, fadiga, dores no corpo, tosse e congestão nasal são característicos dessas doenças e têm um impacto negativo no bem-estar da população.

Apesar do aumento nos casos de gripes e resfriados nesta época do ano, é possível prevenir as doenças com comportamentos simples, como a manutenção de uma rotina de alimentação saudável, a hidratação do corpo e a prática de exercícios físicos, além, é claro, de tomar a vacina contra a gripe.

O Pilates é uma modalidade que contribui muito para prevenir as doenças típicas do inverno. O método, quando praticado de forma regular, ajuda a melhorar a imunidade e contribui para que o organismo se recupere de forma mais rápida quando a gripe e o resfriado chegam. Basta ter disposição para continuar com a prática do Pilates para que as limitações respiratórias sejam superadas!

Entenda os benefícios da atividade física para a recuperação de gripes e resfriados!

Um estudo realizado pela American College of Sports Medicine, localizada em Indianápolis, nos Estados Unidos, mostrou que a prática de exercícios físicos moderados é benéfica para a recuperação de quadros de doenças virais, como o resfriado, por exemplo. Durante a realização dos exercícios, o organismo começa a produzir substâncias que aliviam os sintomas incômodos da doença e que aceleram a recuperação da saúde.

O Pilates, como é uma modalidade que aumenta a resistência física e mental e que melhora a capacidade respiratória, pode ser praticado mesmo quando as pessoas estão resfriadas. Já no caso de gripes fortes, com sintomas acentuados, febre e fadiga extrema, a recomendação é de repouso, para que o corpo possa se recuperar completamente.

Como potencializar os cuidados com a saúde no inverno?

A prática de atividade física vai reforçar sua imunidade e prevenir gripes e resfriados. O Pilates vai melhorar sua respiração, manter o seu corpo fortalecido, reduzir os níveis de estresse e aprimorar o seu condicionamento físico. Contudo, além de manter os exercícios físicos em dia, outras atitudes também são importantes para cuidar da saúde no inverno. Confira algumas dicas:

  • Mantenha uma alimentação saudável;
  • Invista em alimentos ricos em ômega 3, vitaminas e probióticos;
  • Aumente o consumo diário de água.

Quer uma forcinha para se manter ativo no inverno? Venha para a HT Pilates!

Pilates para problemas de coluna, um santo remédio!

Se você está sentindo dores na coluna, percebe que sua postura está incorreta e que precisa fortalecer os músculos dessa região do corpo, saiba que o Pilates é a solução ideal, um santo remédio para todos os tipos de dores.

Os exercícios do Pilates são direcionados a promoverem a estabilidade e o condicionamento físico e muscular. O método é amplamente utilizado para tratar dores crônicas, lombalgias, desvios de coluna e encurtamento dos músculos.

Ao promover a correção postural e o fortalecimento dos músculos das costas, o Pilates ajuda a amenizar quadros de dores, garantindo mais qualidade de vida ao praticante. Além disso, o método vem sendo indicado por médicos e fisioterapeutas para o tratamento de lesões específicas e para a prevenção de hérnia de disco e outras doenças que costumam provocar grandes desconfortos.

Como o Pilates ameniza as dores na coluna?

O Pilates pode ser aplicado com o objetivo de promover o completo alinhamento da coluna, por meio de exercícios de alongamento e fortalecimento. Algumas posturas de Pilates também ajudam no relaxamento da coluna, sendo eficientes para dores cervicais, lombares e torácicas.

Quando um aluno reclama de dores na coluna ao iniciar a prática do Pilates, o instrutor responsável já sabe que precisa trabalhar com exercícios e posturas que possam corrigir vícios posturais. Além disso, é possível escolher atividades que revertam o quadro de enfraquecimento muscular.

O Pilates promove a reeducação postural, ajuda a controlar a respiração, ameniza as dores na coluna, fortalece o corpo de maneira integral, oferece consciência corporal e faz com que o aluno aprenda a controlar de forma consciente todos os músculos de seu corpo.

Antes de iniciar a prática do Pilates, é recomendável que a pessoa com dores na coluna procure um médico para definir as causas do problema e para descartar quadros mais graves, que possam exigir tratamentos específicos, como doenças reumáticas, vasculares ou urológicas.

Você sabia que o Pilates é recomendado para o tratamento da Hipertensão Arterial?

A hipertensão arterial é uma doença que vem crescendo de forma alarmante entre a população. No Brasil, o Ministério da Saúde estima que cerca de 30 milhões de pessoas sejam hipertensas. O mais grave e preocupante é que, deste total, apenas 10% fazem o controle da pressão alta de forma adequada.

Os principais fatores que levam ao descontrole da pressão arterial são: sedentarismo, consumo excessivo de sal (em níveis acima de 5 gramas por dia), herança hereditária, alimentação de baixa qualidade e avanço da idade.

Por ser uma doença silenciosa, em muitos casos, o diagnóstico é tardio, o que pode levar a quadros mais graves, como infarto do miocárdio, AVC e insuficiência renal.

Como o Pilates pode ajudar no tratamento da hipertensão arterial?

Uma das recomendações médicas para o tratamento da hipertensão arterial é que o paciente comece a praticar uma atividade física de intensidade leve ou moderada. Alguns tipos de exercícios liberam no organismo substâncias com ação vasodilatadora, que melhoram a circulação sanguínea, relaxam as artérias e mantêm os níveis da pressão controlados.

O Pilates é uma excelente atividade para quem sofre com pressão alta, pois previne doenças cardiovasculares, melhora o condicionamento físico, reduz a sensação de ansiedade e estresse, entre outros benefícios.

Vale lembrar que, para manter a pressão arterial em padrões saudáveis, é fundamental manter um estilo de vida equilibrado e ativo. Como parte do tratamento não medicamentoso para hipertensão, é essencial buscar a perda de peso e a prática de exercícios que elevem os níveis de disposição e qualidade de vida do paciente hipertenso.

Se você deseja saber mais sobre o assunto e precisa de uma atividade física que seja personalizada, relaxante, divertida e eficaz para o controle da pressão arterial, conheça a HT Pilates, na cidade de São Paulo. Faça uma aula experimental de Pilates gratuitamente!

Hipertensão – Saiba o que é, quais os sintomas e quando procurar um médico!

A hipertensão arterial é uma doença crônica, popularmente conhecida como pressão alta. Esta condição se manifesta quando os níveis de pressão arterial se mantêm anormais constantemente, ficando acima de 14 por 9.

Isso significa que a pessoa hipertensa tem problemas com relação à pressão do sangue que circula pelas artérias, alterando o bombeamento sanguíneo a partir do coração. A hipertensão é uma doença grave e que precisa ser tratada para evitar a ocorrência de problemas cardíacos, vasculares e renais.

Os dois principais riscos decorrentes da pressão alta são o infarto e o acidente vascular cerebral.

Quais são os sintomas da hipertensão?

Entre os sintomas recorrentes da pressão alta, é possível citar: falta de ar, dores de cabeça, visão embaçada, tonturas repentinas e dores frequentes na região do peito. Ao notar estes sinais, é essencial buscar ajuda médica e fazer os exames para um diagnóstico preciso do quadro de saúde.

Conheça as principais causas da doença

O estilo de vida da população está entre as principais causas da hipertensão arterial. Sedentarismo, consumo excessivo de sal e alimentos processados, obesidade e outros fatores são os principais causadores da doença.

Além disso, é preciso ficar atento à questão hereditária (histórico familiar da doença), à carga de estresse na rotina e à idade, já que pessoas com mais de 60 anos têm mais predisposição à pressão alta.

Como tratar?

O tratamento da hipertensão é feito com medicamento e com mudanças nos hábitos de vida. Para controlar os níveis da pressão arterial é importante:

  • Parar de fumar
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas
  • Reduzir ao máximo o consumo de sal
  • Dormir bem
  • Adotar um estilo de vida saudável
  • Praticar esportes e atividades físicas aeróbicas
  • Manter uma dieta específica, com muitas frutas, grãos, legumes e vegetais
  • Ter momentos de relaxamento e lazer

Para fazer o diagnóstico da hipertensão arterial, procure um médico! Tenha uma vida leve e saudável. Conheça a HT Pilates!

Fibromialgia – Saiba como o Pilates ajuda no tratamento e alívio das dores!

A Fibromialgia é uma doença que se manifesta por meio de dores crônicas, que atingem principalmente as áreas das articulações e dos tendões. Trata-se de uma síndrome incurável e a medicina ainda tem poucas informações sobre suas causas.

Pacientes diagnosticados com fibromialgia tendem a relatar dores fortes e sensibilidade extrema em músculos, articulações e tendões. Os especialistas acreditam que isso ocorra por causa de alterações cerebrais na interpretação de estímulos na pele.

O problema é mais recorrente no público feminino, em especial em mulheres jovens, com idade entre 20 e 50 anos. O médico indicado para diagnosticar e tratar casos de fibromialgia é o reumatologista.

Entre os sintomas da doença, é possível destacar: dores generalizadas e de longa duração pelo corpo, dificuldade para dormir em razão das dores, problemas de concentração e elevado nível de estresse.

O tratamento recomendado para a doença consiste na administração de alguns medicamentos e na realização de atividades físicas, principalmente aquelas com perfil aeróbico e de fortalecimento muscular. É exatamente por isso que o Pilates vem sendo altamente indicado para pacientes com fibromialgia, pois ajuda a controlar os sintomas da doença e melhora a qualidade de vida.

Campanhas de conscientização

Por ser uma condição ainda pouco conhecida entre a população, entidades especializadas criaram a Campanha Fevereiro Roxo, que divulga informações sobre três doenças que não têm cura, mas que podem ser tratadas para amenizar os sintomas. São elas: lúpus, fibromialgia e Alzheimer.

O objetivo da campanha é justamente orientar a população sobre a importância do diagnóstico precoce destas doenças, a fim de favorecer o tratamento adequado para controlar os sintomas.

Como o Pilates pode ajudar pacientes com fibromialgia?

O Pilates é um método que possibilita a personalização dos exercícios para cada aluno. No caso de quem tem fibromialgia, a indicação é a realização de exercícios leves e moderados, que não tenham uma intensidade capaz de provocar fadiga muscular. Para estes alunos, os professores de Pilates elaboram séries especiais de exercícios, realmente focados em suas necessidades.

Se você deseja saber mais sobre o assunto e precisa de uma atividade física que ajude a amenizar as dores da fibromialgia, faça contato com a equipe da HT Pilates!

A importância do Pilates para reduzir doenças ocupacionais!

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar em doenças ocupacionais, mas elas são um dos principais problemas da sociedade moderna. Trata-se de um grupo de patologias diretamente relacionadas às atividades desempenhadas pelos trabalhadores, devido às condições às quais estão submetidos.

 

Entre as mais frequentes, podemos citar a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) ou os diversos Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (DORT), que contemplam mais de 30 doenças diferentes, incluindo as tendinites, inflamações dos tendões, e as tenossinovites, mesma condição atribuída à membrana que encobre os nervos.

 

Por serem consideradas um dos “males do século”, diversos estudos vêm sendo desenvolvidos em busca de desvendar os segredos e criar maneiras de combater as doenças ocupacionais. É que suas consequências podem ser extremamente negativas, não apenas reduzindo a capacidade produtiva e limitando a atividade profissional do indivíduo, mas podendo chegar, até mesmo, ao abandono da função e à limitação do bem-estar do trabalhador.

 

O Pilates como aliado

 

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2013, mais de 3,5 milhões de trabalhadores possuíam o diagnóstico de LER/DORT no Brasil. Na tentativa de reduzir a estatística alarmante, existem alternativas eficazes, como o Pilates, por exemplo.

 

O método visa estabelecer o pleno condicionamento físico e mental, que trabalha fatores como o equilíbrio, a flexibilidade e o alongamento. Uma das principais preocupações está em manter as diversas curvaturas fisiológicas do organismo humano e o abdômen como um centro de força.

 

As aulas são realizadas tendo como base o conceito da Contrologia, que prevê um controle integralmente consciente dos movimentos musculares. Deste modo, o sujeito pode coordenar corretamente o organismo, a mente e o espírito. Os benefícios atingidos incluem a correção da má postura, a restauração da vitalidade física e a elevação do espírito.

 

Os exercícios de Pilates

 

Os exercícios são classificados, basicamente, em duas categorias: no solo, utilizando o peso do próprio corpo e a força da gravidade como resistência, e aqueles feitos em aparelhos, que se valem de polias e molas para obter o mesmo efeito.

 

A meta não é atingir a fadiga muscular, mas promover centralização, concentração, controle, fluidez e respiração. É tudo muito simples e com poucas contraindicações. As atividades podem ser realizadas no ritmo de cada aluno, com progressão gradual.

A importância do Pilates para reduzir doenças ocupacionais!

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar em doenças ocupacionais, mas elas são um dos principais problemas da sociedade moderna. Trata-se de um grupo de patologias diretamente relacionadas às atividades desempenhadas pelos trabalhadores, devido às condições às quais estão submetidos.

Entre as mais frequentes, podemos citar a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) ou os diversos Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (DORT), que contemplam mais de 30 doenças diferentes, incluindo as tendinites, inflamações dos tendões, e as tenossinovites, mesma condição atribuída à membrana que encobre os nervos.

Por serem consideradas um dos “males do século”, diversos estudos vêm sendo desenvolvidos em busca de desvendar os segredos e criar maneiras de combater as doenças ocupacionais. É que suas consequências podem ser extremamente negativas, não apenas reduzindo a capacidade produtiva e limitando a atividade profissional do indivíduo, mas podendo chegar, até mesmo, ao abandono da função e à limitação do bem-estar do trabalhador.

O Pilates como aliado

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2013, mais de 3,5 milhões de trabalhadores possuíam o diagnóstico de LER/DORT no Brasil. Na tentativa de reduzir a estatística alarmante, existem alternativas eficazes, como o Pilates, por exemplo.

O método visa estabelecer o pleno condicionamento físico e mental, que trabalha fatores como o equilíbrio, a flexibilidade e o alongamento. Uma das principais preocupações está em manter as diversas curvaturas fisiológicas do organismo humano e o abdômen como um centro de força.

As aulas são realizadas tendo como base o conceito da Contrologia, que prevê um controle integralmente consciente dos movimentos musculares. Deste modo, o sujeito pode coordenar corretamente o organismo, a mente e o espírito. Os benefícios atingidos incluem a correção da má postura, a restauração da vitalidade física e a elevação do espírito.

Os exercícios de Pilates

Os exercícios são classificados, basicamente, em duas categorias: no solo, utilizando o peso do próprio corpo e a força da gravidade como resistência, e aqueles feitos em aparelhos, que se valem de polias e molas para obter o mesmo efeito.

A meta não é atingir a fadiga muscular, mas promover centralização, concentração, controle, fluidez e respiração. É tudo muito simples e com poucas contraindicações. As atividades podem ser realizadas no ritmo de cada aluno, com progressão gradual.

Exercícios de Pilates indicados para o tratamento de tendinites no ombro

Um dos principais motivos que levam pessoas a procurar por aulas em estúdios de Pilates são dores nos ombros. Em geral, esta razão fica atrás somente das patologias na coluna, que igualmente causam mal-estar. O pior é que o problema pode atingir indivíduos de qualquer faixa etária ou gênero, sejam eles sedentários ou atletas.

A boa notícia é que essa situação desagradável que, muitas vezes, limita simples movimentações, como flexões e extensões, pode ser combatida com aliados interessantes e saudáveis: os exercícios de Pilates. O método garante integridade muscular, óssea, das articulações e dos tendões.

 

Lesões nos ombros

O mais comum é que as lesões nos ombros sejam provenientes de atividades esportivas que exigem demais de nosso corpo, como os levantamentos de peso, por exemplo. Mas isso não é tudo. Os problemas também podem surgir através de atividades comuns no dia a dia, como pendurar cortinas ou lavar janelas.

As ocorrências ficam maiores em indivíduos com idade superior aos 50 anos, já que é a partir daí que o tendão supra espinhal passa a sofrer pressão da cabeça do úmero. Isso acarreta na diminuição da vascularização naquela região, isto é, tendinite no ombro, como é popularmente conhecida a condição. Com isso, a realização de determinados movimentos fica comprometida:

  • Abdução;
  • Adução;
  • Circundação;
  • Extensão;
  • Flexão;
  • Rotação externa;
  • Rotação interna.

 

O método Pilates como aliado

As principais funções das aulas de Pilates ao longo do tratamento de patologias nos ombros são trabalhar no recrutamento e fortalecimento dos músculos profundos desta área do corpo. Com isso, o benefício alcançado é o controle do quadro álgico. Tais vantagens somente podem ser alcançadas por meio de exercícios posturais.

Também é importante que as atividades desenvolvidas mantenham o foco nas articulações vizinhas, como as colunas torácica e cervical, já que a ligação muscular acontece por intermédio de cadeias. Desta forma, evita-se cargas compressivas, vícios de postura ou movimentos repetitivos, capazes de gerar uma nova lesão.

Mas, atenção! Apesar de todos estes fatores positivos proporcionados pela prática do Pilates, tendinites e demais doenças nos ombros devem sempre ser acompanhadas por um médico especialista. Jamais se automedique!

Pilates para hérnia de disco, um santo remédio!

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) dão conta de que cerca de 90% da população sofre, já sofreu ou ainda sofrerá com problemas na coluna. No Brasil, a realidade é preocupante: de acordo com informações do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 5,4 milhões de pessoas já obtiveram o diagnóstico de hérnia de disco. Sendo assim, considera-se uma patologia comum, mas capaz de causar danos severos aos pacientes.

Neste contexto, cada vez mais o Pilates vem sendo procurado como uma opção ao longo do tratamento. É um método bastante eficaz, tanto em curto quanto em longo prazo. Os exercícios atuam em todas as fases da hérnia discal, o que acarreta em melhorias nos sintomas e na diminuição das possibilidades de consequências negativas.

 

Por que optar pelo Pilates ao longo do tratamento?

O Pilates costuma ser um método interessante a ser praticado por pacientes que sofrem com hérnia de disco, pois colabora com o alívio das dores causadas pela doença. A partir do momento em que os exercícios começam a ser postos em prática, uma série de benefícios são notados pelo corpo.

Exemplos são a maior tonicidade dos músculos, o aumento na capacidade de flexão das articulações e uma postura mais ereta, alongada e equilibrada. Sendo assim, o indivíduo não apenas passa a realizar uma atividade física completa, como ainda ganha um estilo de vida mais saudável e sem dores.

 

Como se prevenir

Quem já iniciou as aulas de Pilates, ainda deve se atentar a hábitos para evitar que o problema prevaleça. Sua rotina deve ser marcada pela presença de movimentos de alongamento e fortalecimento muscular voltados à região lombar. Antes de levantar peso, a dica é manter os pés ligeiramente abertos, joelhos flexionados e costas retas. Não eleve a carga mais do que esta posição permite.

Há movimentos que devem ser evitados por pacientes com hérnia discal. São eles:

  • Fortalecimento de abdominais em retroversão;
  • Flexão da coluna lombar com rotação, sobretudo com carga;
  • Retroversão pélvica, sobretudo com carga.

Por outro lado, existem movimentos que ajudam a promover o alívio das dores, como:

  • Estimulação do períneo;
  • Extensão da coluna;
  • Fortalecimento abdominal com pelve neutra;
  • Fortalecimento da musculatura paravertebral;
  • Tração axial.

Pilates para idosos com Doença de Parkinson

Pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, pelo menos, 1% da população acima dos 65 anos sofre com a Doença de Parkinson em todo o mundo. Estatisticamente falando, seriam entre 100 e 200 casos a cada 200 mil habitantes.

A patologia é caracterizada por sintomas como tremor dos membros, desequilíbrio, rigidez nas articulações, instabilidade de postura, lentidão para a realização dos movimentos e coordenação motora afetada. No início do quadro, os pacientes apresentam tais aspectos de maneira mais lenta, entretanto, com o passar do tempo, os sinais da doença se tornam frequentes.

Por se tratar de um problema degenerativo, a Doença de Parkinson não tem cura, mas tem tratamento, que visa combater os sintomas e promover qualidade de vida. Com o Pilates, por exemplo, o paciente pode conquistar uma vida mais independente, mesmo que haja a necessidade de se conviver com a patologia por alguns anos.

 

Benefícios do Pilates durante o tratamento

Antes de iniciar as atividades na prática do Pilates, o paciente da Doença de Parkinson passa por uma avaliação mediada por um professor devidamente gabaritado. A medida é tomada a fim de assegurar que o treinamento será eficiente, atendendo às reais necessidades de cada aluno. A partir daí, serão identificadas as deficiências do indivíduo, para garantir o seu desempenho funcional.

A principal meta é promover a redução das alterações motoras provenientes da patologia e, com isso, melhorar a qualidade de vida. A técnica de Joseph Pilates gera no aluno a reeducação dos movimentos, o que auxilia na melhora do quadro e na redução dos sintomas da Doença de Parkinson. As vantagens incluem:

  • Reeducação dos movimentos;
  • Melhora das alterações motoras;
  • Redução dos sintomas colaterais;
  • Fortalecimento muscular;
  • Precisão da coordenação motora;
  • Equilíbrio;
  • Promoção de estabilidade postural;
  • Entre outros.

De uma forma geral, a prática dos exercícios físicos é uma grande aliada ao tratamento da Doença de Parkinson. Nesse contexto, o Pilates ganha ainda mais destaque, por se tratar de uma atividade considerada completa. O paciente sai ganhando tanto no aspecto físico quanto no psicológico.

Para saber mais, entre em contato com a HT Pilates e agende uma aula experimental!