Vai voltar para a natação no verão? Melhore sua resistência com o Pilates!

A relação entre os seres humanos e a água ultrapassa os limites do tempo. Seja por aventura ou sobrevivência, os homens sempre estiveram em contato com lagos, rios e oceanos. É por isso que o domínio da locomoção em ambientes aquáticos faz parte de nossa história. Não demorou muito até que tal atividade se tornasse um esporte, a natação.

Hoje em dia, essa modalidade possui uma popularidade enorme! É praticada em academias, clubes, além de ser aplicada como forma de lazer em piscinas de hotéis, resorts, etc. A natação estreou nos Jogos Olímpicos de 1896, em Atenas, na Grécia, e hoje conta com disputas individuais e revezamentos em diversos estilos, como livre (crawl), peito, costas e borboleta.

A relação entre a natação e o Pilates

Entre os nados mais conhecidos mundialmente, está o crawl, composto por movimentos assimétricos. O estilo é praticado em grande volume pelos atletas, pois funciona como aquecimento. O problema é que sua repetição por longos períodos pode gerar desequilíbrio da musculatura e alterar a posição dos ossos, da postura e da biomecânica.

Neste contexto surge o Pilates como um excelente aliado do nadador, pois se trata de um método fundamentado nos princípios da centralização e da respiração, responsáveis pela ativação dos músculos. As aulas trabalham, entre outros, o transverso do abdômen, potente estabilizador da coluna, tão exposta a lesões nas saídas e viradas realizadas pelos atletas na natação.

Malefícios causados por movimentos assimétricos

A repetição de movimentos assimétricos associada ao desequilíbrio da força muscular pode gerar alterações posturais significativas, como escoliose, hipercifose, síndrome do impacto no ombro, etc. Por outro lado, a boa postura ajuda no deslizamento do corpo na água, com resistência e sem sobrecargas.

Ao aderir ao Pilates, o esportista se beneficia em equilíbrio, flexibilidade da musculatura e estabilidade do tronco, além de consciência de movimentos e fortalecimento global do corpo. Complementar os treinos de natação com aulas do método é altamente eficaz, já que proporciona ao nadador uma performance mais aperfeiçoada e o melhoramento de seu desempenho dentro d’água. Se você é nadador profissional ou amador, evite lesões – pratique Pilates!

Está sem pique para levar o cachorro para passear? Ganhe mais energia com o Pilates!

Acontece com todo mundo! Tem dias que a gente se sente com a energia lá embaixo, sem pique, até mesmo, para sair de casa e levar o cachorro para passear. Mas, por outro lado, não é nenhuma novidade o fato de que não é legal se entregar a este baixo astral.

Se você sente muita preguiça e só quer ficar deitado, saiba que é possível vencer este problema de uma maneira fácil e divertida: praticando Pilates! O método, além de manter o corpo em movimento, é acompanhado por uma série de benefícios que proporcionam equilíbrio entre o corpo e a mente.

Fonte de energia

Desde que o mundo é mundo, o homem procura meios de trabalhar a energia que existe ao seu redor. Com fundamento nisso, surgiram técnicas que envolvem a abertura do canal de energia que existe em cada um de nós, como o Reiki, por exemplo. O método é tido como “curativo” e grande parte das pessoas que se submetem a ele, relata ter sentido calor, formigamento e/ou relaxamento.

Paralelo ao Reiki, há o Pilates, cujos exercícios permitem a transmissão desta energia positiva. Deste modo, é possibilitado ao corpo trabalhar em mudanças físicas e neurológicas, já que as aulas acalmam e aumentam a concentração do praticante.

Os benefícios do Pilates no cotidiano

Um dos principais objetivos alcançados ao se praticar Pilates é a consciência física. Os alunos passam a focar sua presença na mente e no corpo, o que gera diminuição de tensão. Pouco a pouco, os praticantes vão tendo a oportunidade de se reconectar com seu “eu interior”, além de abrir caminhos para o tratamento de traumas, doenças ou mal-estares.

Maneiras de ganhar energia

A chave para manter a saúde sempre em dia é o equilíbrio. Prova disso é que após o exercício, vem o descanso. O corpo precisa desta pausa, para se restabelecer e elevar os graus de energia. É por isso que temos que analisar com cautela: “o cansaço que estou sentindo é algo natural ou precisa de uma atenção especial?”

Há algumas dicas que podem ajudar a ganhar mais pique no dia a dia, como a aplicação de um pouco de spray de lavanda no quarto ou no travesseiro antes de dormir. O cheiro da planta colabora com a qualidade do sono, pois causa relaxamento! Outra sugestão é se permitir mais, sobretudo aos finais de semana, quando a rotina dá uma aliviada.

Busque levar uma vida mais leve e pratique atividades físicas. Não é uma fórmula mágica, mas vai ajudar bastante!

Confira exercícios de Pilates ideais para melhorar a postura das gestantes!

Toda mulher que já passou pela experiência da gravidez sabe: este é um período único e inigualável. Sentir o bebê crescendo no ventre é algo que está além de qualquer explicação lógica. E, para que esta fase seja vivida da melhor maneira possível, é necessário que a gestação seja atravessada com calma, paz de espírito e bem-estar. Para promover todos estes benefícios, um excelente aliado é o Pilates.

O método é composto por exercícios físicos que colaboram com as saúdes física e psicológica da mulher grávida ao longo dos três trimestres, respeitando a individualidade de cada caso. É uma ótima escolha para garantir a promoção da estabilidade da musculatura postural.

Primeiro trimestre

Ao longo do primeiro trimestre de gestação, é comum sentir indisposição e náuseas. Por conta disso, diversas mulheres se recusam a praticar qualquer tipo de atividade, receosas de que algo de errado aconteça ao bebê. Por isso, nesta etapa da gravidez, o Pilates deve ser executado com muita cautela.

Primeiramente, a gestante deve obter uma autorização médica para seguir com as aulas. Se tudo estiver de acordo, o instrutor preparará um trabalho focado no fortalecimento dos músculos estabilizadores da pelve e do tronco, desde que praticados com a devida ativação do power house. Com isso, a pressão intra-abdominal é aumentada, empurrando o assoalho pélvico para baixo. Exemplos de exercícios são flexões de tronco ou rolamentos.

Segundo trimestre

No segundo trimestre, a maioria das grávidas tem liberação do médico para praticar Pilates. Ainda assim, a intensidade não pode ser exagerada. O principal ensinamento nesta fase é a ativação do power house, que ajuda a proteger a coluna e a diminuir riscos de diástase e dores na lombar e sacro ilíaca.

Os exercícios podem ser praticados no Reformer, na bola ou no Cadillac. Mas é válido redobrar a atenção, sobretudo ao realizar pontes, pois a orientação é para que a veia cava não seja comprimida.

Terceiro trimestre

A fase final da gravidez sempre é acompanhada por transformações intensas. O trabalho desenvolvido mantém o enfoque no fortalecimento global. Entretanto, nas últimas semanas, é dada uma atenção maior ao alongamento da musculatura envolvida na pelve. Com isso, a intenção é relaxar o assoalho pélvico e gerar mobilidade nesta região. Atividades desempenhadas no Reformer ou na Chair são ideais!