Como o Pilates pode ajudar quem tem hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema que atinge diversas pessoas no mundo todo. Só em nosso país, dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelaram que há cerca de 5,4 milhões de pacientes. Muitas vezes, esses indivíduos confundem a patologia com uma dor no nervo ciático, mas a verdade é que a hérnia de disco pode comprometer a coluna, estando associada à má postura, às fraturas e outras condições de saúde.
Tratando a hérnia de disco através do Pilates

Existem fatores internos e externos ao organismo capazes de causar uma hérnia de disco. Entre os externos, podem ser listados os esforços físicos em excesso, enquanto nos internos estão questões como a hereditariedade. Sejam quais forem as causas, uma das primeiras recomendações dadas aos pacientes é: tenha cuidado com os movimentos que vai realizar.

Nem sempre a hérnia vai doer ou incomodar apenas nos momentos em que o nervo for tocado. É por isso que a melhor medida a ser tomada é aprender a se movimentar corretamente, a fim de adequar as ações do dia a dia à condição do paciente.

O Pilates é um grande aliado ao longo do tratamento da hérnia de disco, pois promove uma consciência corporal importante para evitar ou minimizar as dores. O ideal é que as aulas sejam construídas com cuidado, de forma personalizada para o cliente que sofre com hérnia de disco.

A aula de Pilates ideal

Durante as aulas de Pilates de um aluno que sofre com hérnia de disco, o ideal é trabalhar o músculo Psoas, um dos mais profundos e estabilizadores do corpo humano. Ele afeta a amplitude dos movimentos, a mobilidade articular, o equilíbrio estrutural e o funcionamento dos órgãos localizados na região do abdômen.

Na condição da patologia, tal musculatura normalmente se encontra “encurtada” e, com isso, enfraquecida. O fortalecimento deve se dar por meio de alongamentos. O quadrado lombar também necessita ser trabalhado, para garantir a diminuição dos quadros de dor.

A ativação da musculatura profunda separa as vértebras, aumenta o espaço muscular e é imprescindível para aliviar as dores causadas pela hérnia de disco. Conheça essas e outras vantagens dos exercícios junto à HT Pilates! Agende, agora mesmo, uma aula experimental.

Está com dor nas costas e nas pernas? O Pilates é ótimo para ajustar a postura e melhorar a qualidade de vida!

Existem vários motivos para dores nas costas e nas pernas. Em muitos casos, elas estão associadas à irradiação no nervo ciático e, além de causarem grande desconforto na região lombar, podem atingir os pés e as coxas.

O Pilates, uma prática para fortalecimento muscular e reeducação da postura por completo, organiza uma série de exercícios para as pernas e para as costas.

Além dos casos que atingem o nervo ciático, muitas pessoas sentem dores causadas pela lombalgia, com a sensação de estar com a coluna “travada”. Outros tantos problemas de dor nas costas e nas pernas são relatados por pessoas que estão na terceira idade, trabalhadores que ficam sentados ou em pé por muito tempo, praticantes de algumas modalidades esportivas que exigem bastante desempenho, entre muitos outros casos.

Não tem como escapar: as costas e as pernas são responsáveis por sustentar o nosso corpo e mantê-lo em equilíbrio e, por isso mesmo, precisam de alongamento, fortalecimento muscular, além de uma postura correta e saudável.

O Pilates ajuda a aliviar a dor nas costas, nas pernas e melhora a qualidade de vida

O tratamento para dores nas costas e nas pernas com o Pilates começa com a reeducação postural. A postura incorreta, que sobrecarrega a região lombar e força demais as articulações das pernas, é a principal responsável pela causa de dor. A prática de alguns exercícios já traz alívio imediato.

No caso de lombalgias, os médicos aconselham o tratamento com Pilates para ajudar na reabilitação do paciente. Os exercícios feitos em equipamentos individuais, com bola e com o apoio de professores com formação na área, são ideais para fortalecer a musculatura, criar a consciência corporal, aumentar a concentração dos alunos e trazer uma série de benefícios, como:

  • Aumento do equilíbrio corporal e da estabilidade da coluna;
  • Realização de movimentos mais precisos;
  • O aluno passa a adotar uma postura correta;
  • O praticante apresenta mais vigor físico;
  • Criação e manutenção da consciência corporal;
  • Flexibilidade com músculos muito bem alongados;
  • Exercícios para fortalecimento muscular.

O resultado do Pilates é ótimo para o alívio das dores nas costas e nas pernas porque a atividade envolve todos os grupos musculares, aumentando o espaço entre as vértebras da coluna e adicionando mais resistência física aos praticantes. Músculos mais fortes sustentam melhor o peso do corpo!

Muitos alunos que iniciaram a prática em busca de qualidade de vida relatam que as dores diminuíram muito ou, até mesmo, sumiram com as aulas regulares de Pilates.

Converse com o seu médico e faça uma visita à HT Pilates.

Você sabe a diferença entre artrite e artrose?

Artrite e artrose são doenças distintas, com causas e tratamento diferentes, porém com sintomas que podem ser iguais, o que costuma causar confusão, fazendo com que as duas condições, que realmente são parecidas, sejam tratadas como uma patologia única.

A articulação é a região onde há conexão de dois ou mais ossos distintos. Como exemplos temos os joelhos, cotovelo, punhos, tornozelo, ombros entre outras. As articulações ao longo do corpo não são todas iguais diferenciando uma da outra. Algumas articulações são ligadas por um tecido fibroso, que cola um osso ao outro tornando imóveis, como osso do crânio. Outras articulações são ligadas por cartilagem pouco moveis como os discos vertebrais que unem as vértebras da coluna e as bem moveis que são ligadas por uma cartilagem e uma bolsa de liquido sinovial permitindo amplo movimento dos ossos, como é o caso do joelho, cotovelos e ombros.

Artrite se diagnostica quando há um processo inflamatório das articulações; quando uma ou mais articulações estão inflamadas.

A artrose, também chamada de osteoartrite, osteoartrose ou artrite degenerativa, é uma artrite que ocorre por degeneração das cartilagens das articulações. A cartilagem é um tecido que serve como “almofada” ou “amortecedor” entre dois ossos. A degeneração da cartilagem na artrose ocorre geralmente pelo envelhecimento da mesma. Outros fatores que contribuem para o aparecimento das artroses são a genética, obesidade entre outros fatores.

Como em qualquer doença articular, os exercícios físicos são muito importantes no tratamento da artrite reumatoide.

O método de Pilates é indicado pois as aulas são planejadas para cada tipo de aluno e se tiver alguma patologia os exercícios serão específicos para esta patologia. O pilates melhora a coordenação motora, o equilíbrio e a força do corpo e abdômen centro do corpo.

As aulas precisam ser sempre dinâmicas com cautela para que o aluno não se canse muito. E o principal é fazer com que o aluno se movimente se mobiliza com os exercícios do método de Pilates.

Obesidade infantil: tratamento pode estar dentro de casa

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a obesidade infantil é um dos mais graves problemas de saúde publica do século XXI.

A obesidade esta relacionada a uma série de fatores como hábitos alimentares e atividade física, além de fatores biológicos, comportamentais e psicológicos.

Crianças obesas tem mais chances de se tornarem adultos obesos, e assim mais riscos de  desenvolverem uma série de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares.

Pai ensinando filho a andar de bicicleta

Ensine hábitos saudáveis ao seu filho

O aumento da atividade física, a redução do sedentarismo e melhora dos hábitos alimentares  continuam sendo forma de prevenção e intervenção na obesidade infantil.

Para isso, é importante que esse incentivo venha de dentro de casa, esse estímulo dos pais é crucial para tirar as crianças do mundo virtual e ajuda-los a criarem hábitos saudáveis que serão levados para o resto da vida.

Existem vários tipos de esportes, assim as crianças devem ser incentivadas a experimentar ate encontrarem o que lhes da maior prazer.

Dicas : Leve a criança a parques e ambientes abertos para que ela possa ter liberdade para  usar skate, patins e  bicicleta por exemplo.

Torne o esporte uma diversão e não somente competição. A competição pode existir porem deve ser adequada a idade da criança.

Seja o exemplo do seu filho!

Foto: Barry Austin/moodboard/Corbis

Foto: Barry Austin/moodboard/Corbis

Incontinência urinária é comum em homens e mulheres

A incontinência urinária afeta mais de 10 milhões de idividuos no Brasil, 25% desses casos são do sexo masculino. A incontinência urinária é pouco discutida nos dois sexos, principalmente no sexo masculino por vergonha e aceitação do problema.

Fazem parte do aparelho urinário os rins, e as vias urinárias como o ureter, a bexiga e a uretra. É na bexiga que a urina é armazenada. As vias urinárias são estruturas muito próximas de outros órgãos e que ficam próximas da parede do músculo abdminal. Nos sexo masculino, a próstata envolve a uretra. Já no sexo feminino, a bexiga fica muito perto do útero, que tem o formato de uma pera, e a uretra fica pouco acima da vagina.

Controlar a urina é um ato voluntário comandado pelo sistema nervoso central. O comprometimento da musculatura dos esfincteres ou do assoalho pélvico, gravidez ou tumores podem interferir neste controle no sexo femino. No sexo mausculino também tem esses fatores igual ao sexo feminino como outros motivos Acidente Vascular Cerebral (Derrame), Traumatismos medulares, Doença de Parkinson ou cirurgias prostáticas (prostatectomia radical). Todos esses fatores citados provoca a micção invonluntária tendo a incontinência urinária.

Incontinencia urinária de esforço:  Consiste na perda involuntária de urina durante uma atividade como tossir, correr, saltar, etc, diferindo de pessoa para pessoa. Alguns indivíduos apenas perderão uma pequena quantidade de urina esporadicamente, possivelmente durante um curto período de tempo, ao passo que outros poderão perder urina constantemente e por longos períodos de tempo. Muitos recuperam da incontinência por completo mediante um tratamento adequado.

Foto: Ulf Huett Nilsson/Johnér Images/Corbis

Foto: Ulf Huett Nilsson/Johnér Images/Corbis

Tramento para a Incontinência Urinária como a fisioterapia e o Pilates são métodos importantes para melhora do caso. A fisioterapia utiliza a eletroterapia, o biofeedback e os exercícios para o assoalho pélvico (principalmente exercício de Kegel). Esses recursos têm o intuito de melhorar a força e resistência dos músculos responsáveis por conter a urina. Através do método de Pilates a musculatura responsável pela contenção da urina, períneo/assoalho pélvico possa ser estimulada e obter os ganhos para melhora da incontinência urinária.

Hipertensão: Uma doença silenciosa e perigosa

Dia 26 de abril é o dia de Combate e Prevenção da Hipertensão e para conscientizar as pessoas sobre os problemas que essa doença pode causar, vamos fazer uma série esta semana de esclarecimentos sobre como prevenir e tratar a hipertensão.

O que é

A Hipertensão é uma doença crônica a qual caracteriza-se pela pressão sanguínea elevada dentro das artérias, isso faz com que o coração tenha que fazer um esforço muito grande para bombear o sangue.

Para ser considerada hipertensa, a pessoa deve apresentar a pressão sanguínea igual ou superior a 140/90 mmHG.

Sintomas

A hipertensão é uma doença silenciosa, muitas vezes não apresenta qualquer sintoma e é descoberta durante exames de rotina ou por outro problema de saúde.

As pessoas que sofrem de hipertensão queixam-se de dores de cabeça, principalmente na parte posterior, vertigens, zumbido, desmaios e distúrbios na visão.

Consequências

A Hipertensão pode levar a os agravamentos de saúde, tais como:

– AVC (Acidente Vascular Cerebral);

– Enfarte do miocárdio;

– Aneurisma;

– Insuficiência renal;

– Insuficiência cardíaca.

Fatores de risco

– Genética;

– Fumo;

– Bebidas alcoólicas;

– Obesidade;

– Estresse;

– Consumo de sal

– Colesterol alto;

– Sedentarismo.

Grupo de risco

As pessoas que correm maior risco de sofrer de hipertensão são:

– Pessoas negras;

– Homens com menos de 50 anos;

– Mulheres acima de 50 anos;

– Diabéticos.

Tratamento

O melhor tratamento para a hipertensão é preveni-la, para isso recomenda-sse um estilo de vida saudável:

– Manter o peso normal;

– Reduzir o consumo de sal;

– Praticar atividade física regularmente;

– Evitar o consumo de álcool;

– Manter uma alimentação saudável rica em frutas e vegetais.

Se a pessoa já sofre de hipertensão, trocar o estilo de vida pelo citado acima é a primeira recomendação para manter a pressão abaixo de 12 por 8. Reduzir o peso corporal em até 10% ajuda muito a reduzir a pressão.

Praticar atividades que aliviam o estresse como relaxamento, Yoga e meditação também ajudam muito para manter a pressão sob controle. Em casos extremos, recomenda-se o uso de anti-hipertensivos, que são vasodilatadores, mas são acompanhados de elefeitos colaterais.

Diminuir consideravelmente o uso do sal já é provado que melhora muito a hipertensão. Recomenda-se a abstenção de pelo menos 4 semanas para sentir os benefícios. Um dieta rica em vegetais com o frutas, verduras, legumes e cereais, diminui drasticamente os efeitos da hipertensão.

Hipertensão: Mitos e verdades

A hipertensão é uma doença silenciosa, mas que merece muita atenção. Geralmente associada a outras patologias, a hipertensão pode agravar essas doenças e estimular o aparecimento de outras.

Amanhã, 26 de abril, comemora-se o Dia da Prevenção e Combate à Hipertensão. Conscientize-se e leve esta mensagem aos seus amigos e familiares, pois com cosciência e hábitos saudáveis é possível combater esse mal.

O tratamento da hipertensão é realizado com a adoção de hábitos saudáveis, associando uma dieta rica em vegetais e cereais e a prática regular de atividade física supervisionada.

Em alguns casos é necessário a administração de medicamentos anti-hipertensivos, o que não dispensa a adoção de hábitos saudáveis.

Confira quais são os mitos e as verdades sobre a hipertensão:

Dor de cabeça: Verdade

O aumento da pressão pode ocasionar em fortes dores de cabeça.

Olhos vermelhos: Verdade

Um dos sintomas da hipertensão são os olhos vermelhos. A pressão sanguíneo força o inchaço nos vasos dos olhos provocando hemorragia ocular.

Sangue no nariz: Verdade

Devido ao aumento da pressão, os vasos sanguíneos do nariz podem se romper.

Alimentação influencia no aumento da pressão: Verdade

Muitos alimentos devem ser evitados por hipertensos, pois estimulam o aumento da pressão, tais como, gorduras, condimentos, embutidos, sal e frituras.

Estresse piora a hipertensão: Verdade

Estresse, nervoso e ansiedade provocam o aumento da pressão.

Hipertensos não podem fazer exercícios: Mito

Os hipertensos não só podem como devem praticar atividade física regularmente. Com os cuidados necessários para que a pressão não suba, Pilates, Yoga e meditação.

Hipertensão tem cura: Mito

A hipertensão é uma doença crônica incurável e geralmente está associada a outros problemas de saúde. Adotando os hábitos saudáveis e seguindo as orientações médicas, o hipertenso pode viver com qualidde de vida e bem-estar.

Hipertensão é assintomática: Verdade e Mito

A hipertensão é uma doença que pode ter sintomas, mas são raros, aparecendo em casos mais graves. Por causa disso, é conhecida como uma doença silenciosa.

Hipertensos ficam dependentes de medicação: Mito

Casos mais graves da doenças requerem a administração de medicação por tempo e dose indeterminados. Porém, com a adoção de hábitos saudáveis, a medicação pode ser suspensa.

A medicação anti-hipertensiva diminui o desempenho sexual: Mito

Hoje em dia, as drogas anti-hipertensivas têm menores efeitos colaterais e não afetam o desempenho sexual dos hipertensos.

Esporão de calcâneo, fascite plantar e o Pilates

Esporão de calcâneo é um crescimento ósseo irregular no calcanhar, costuma ser incapacitante e doloroso quanto estão se desenvolvendo.

A planta do pé é composta por músculos (estruturas elásticas) e por fáscias (estruturas rígidas), que potencializam a força dos músculos flexores curtos dos dedos e funcionam como um braço de alavanca. Um estresse nessa região provoca o estiramento da fáscia, originando fissuras e inflamações o que causa a retração do tendão de Aquiles. Ocorre geralmente nos pés planos.

Fascite plantar refere-se a dor da fáscia plantar. Caracteriza-se por uma inflamação causada por micro traumatismos de repetição na origem da tuberosidade medial do calcâneo. As forças de tração durante o apoio levam ao processo inflamatório. A fascite surge geralmente em indivíduos obesos. A pronação do é facilita o desenvolvimento desta patologia.

Já quando ocorre a lesão próxima ao osso, este pode tentar se curar produzindo um novo osso, originando o esporão de calcâneo.

O tratamento de ambos é principalmente clínico realizado principalmente por meio de alongamento do tendão de Aquiles e da fáscia plantar.

Na maioria das vezes com a pratica regular do Pilates em 6 ou 8 semanas é o suficiente para resolver o quadro doloroso, porém o instrutor deve tomar alguns cuidados como não apoiar o calcanhar em superfícies rígidas.

O profissional pode abusar de superfícies instáveis como owerball, bosu, almofada de equilíbrio e exercícios com a faixa elástica.

Nas situações persistentes recomenda-se o uso de infiltrações e ondas de choque. E em último caso pode ser feita uma cirurgia, porém esta ainda não é comprovatório a solução total do problema.

Dicas para cuidar do seu Triglicérides

O que são triglicérides?
Os triglicérides são gorduras derivadas dos alimentos que ingerimos nas refeições como carnes, leite, frituras ou óleo adicionado na preparação dos pratos. Essas gorduras são absorvidas no intestino e passam para o sangue, daí podem ser armazenadas.
A forma de armazenamento é a gordura corporal, que também se quebra na produção de energia e circula no sangue em forma de triglicérides.
Dicas para equilibrá-los
1) Emagrecer: Procure atingir e manter o seu peso ideal! A perda do excesso de peso pode ajudar na redução dos níveis de colesterol no sangue.
2) Gorduras: Reduza o consumo de gorduras saturadas, pois elas são as que mais aumentam o seu colesterol, mais até do que o próprio colesterol da dieta! Por isso que camarões e lagostas que contém grande quantidade de colesterol e muito pouca gordura saturada, não são tão prejudiciais quanto um gordo churrasco!
Essas gorduras saturadas estão presentes em grande quantidade nos produtos de origem animal, especialmente carnes gordas, vísceras como fígado, rim, miolo e produtos derivados do leite integral, como manteiga, creme de leite e queijos, e também em alguns óleos vegetais como o de palma, o de côco, o azeite de dendê (que vem muitas vezes em produtos tipo biscoitos, misturas para bolos, congelados).

Foto: Bernard Radvaner/Corbis

Foto: Bernard Radvaner/Corbis

3) Colesterol: A ingestão diária de colesterol não deve ultrapassar 300 mg, ou caso já esteja elevado, deve ficar por volta dos 150. Não esqueça que uma única gema de ovo lhe fornece 213 mg de colesterol.

O colesterol só está presente em alimentos de origem animal como gema de ovo, carnes, leite integral, queijos, manteiga. E nenhum colesterol é encontrado em vegetais, como nas frutas, grãos, cereais, batatas, óleos vegetais, etc.

4) Óleos: Prefira o consumo de azeite de oliva a outros óleos vegetais, pois é rico em gordura monoinsaturada que ajuda a manter o colesterol bom elevado e diminui o colesterol ruim e prefira-o sem aquecer. Mas quando for levar ao fogo, prefira o óleo de canola que também é rico em monoinsaturados!

Não esqueça que todas as gorduras têm o mesmo valor calórico por grama e em excesso podem prejudicar!

5) Congelados: Evite consumir produtos moídos e congelados, recheados, empanados, que geralmente levam uma grande quantidade de pele e gordura. Compre produtos frescos e moídos na hora, onde você possa ver a peça inteira antes.

6) Preparo: A forma como você prepara seus alimentos, sendo este carne, frango ou peixe é o que realmente importa. Troque a margarina ou o óleo do refogado por suco, água, molho de ervas, ou vinho. Prefira grelhados, assados, cozidos ou preparações feitas no microondas, na churrasqueira, ou no vapor.

7) Industrializados: Ao consumir produtos industrializados, verifique a composição nos rótulos das embalagens, para evitar o consumo de produtos ricos em gordura saturada, gorduras hidrogenadas, manteiga de cacau, banhas, óleo de coco ou de dendê.

8) Hidrogenados: Evite o consumo de “produtos hidrogenados”, como as margarinas, pois apesar de serem ricos em poliinsaturados, possuem grande quantidade de ácidos graxos (gorduras) “trans”, que não são bons para suas artérias.

9) Sopas: Sopas são ótimas porque satisfazem sua fome com poucas calorias. É claro que somente quando feitas com pouca gordura, mas mesmo assim ficam deliciosas. Geralmente, quando consumidas fora de casa, as sopas de caldo transparente são menos calóricas, pois sopas cremosas e espessas geralmente contém muita gordura! Mas prefira as sopas caseiras…

10) Aveia: O consumo de algumas colheres de sopa de aveia podem trazer benefícios na redução do colesterol. Segundo cientistas, os benefícios seriam decorrentes de uma substância presente na aveia, a betaglucan, que impediria o fígado de produzir mais colesterol do que o necessário. Porém, mais estudos precisam ser feitos para concluir tal efeito. Enquanto isso, um pouco mais de aveia no seu dia pode ser saboroso, nutritivo e saudável! Sem exageros é claro! Boas opções são pães, bolos, biscoitos e mingaus de aveia.

Foto: John Smith/Corbis

Foto: John Smith/Corbis

11) Fibras: As fibras têm um papel muito importante, pois diminuem o tempo que o alimento permanece no intestino, diminuindo, portanto, a quantidade de gordura absorvida. Por isso, consuma alimentos ricos em fibras na sua alimentação, como cereais integrais, frutas e hortaliças cruas, leguminosas (feijão, ervilha, grão de bico, lentilha) etc…

12) Restaurantes: Se você costuma comer sempre em restaurantes, prefira pratos grelhados à base de peixe, e peça porções para dividir, – pois um inteiro é muita carne e muito colesterol! – acompanhados de saladas sem molhos cremosos e excesso de óleo.

Evite fritura substituindo-as por purê de batata, batatas e legumes refogados, arroz branco ou à grega, massas com molho de tomate ou legumes tipo brócolis, creme de espinafre, entre outros são todos bem vindos. Jamais tenha vergonha de perguntar ao garçom sobre os ingredientes dos pratos que deseja comer.

13) Carboidratos: Um consumo muito grande de carboidratos simples, como doces e açúcar também é prejudicial, pois todo excesso é transformado em gorduras, desequilibrando os níveis de gordura no sangue. Por isso troque o refrigerante por light, evite sobremesas e chocolates.

14) Álcool: Alguns estudos indicam que o consumo moderado de álcool de boa qualidade, 2 cálices de vinho tinto, parece aumentar em 15% os níveis de HDL (o bom colesterol). Mas não é por isso que você vai abusar! As bebidas alcoólicas também têm calorias e em excesso, podem contribuir para o aumento de peso.

Aprenda mais sobre Osteoporose

Osteoporose é a doença óssea metabólica mais frequente, sendo a fratura a sua manifestação clínica. É considerada um grave problema de saúde pública, sendo uma das mais importantes doenças associadas com o envelhecimento.
Até aproximadamente 30 anos de idade a quantidade de osso reabsorvido e reposto é igual. A partir daí, inicia-se um lento balanço negativo que vai provocar, ao final de cada ativação das unidades de remodelamento, discreta perda de massa óssea.

Fatores de risco para osteoporose
Predispõem à osteoporose fatores que induzem a um baixo pico de massa óssea e aqueles que são responsáveis por perda excessiva ou baixa produção.

Genéticos
• Raça branca ou asiática
• História familiar
• Baixa estatura
• Massa muscular pouco desenvolvida
• Estilo de vida
• Baixa ingesta de cálcio
• Sedentarismo
• Exercício excessivo levando a amenorréia (ausência de menstruação)
• Pouca exposição solar
• Nuliparidade
• Tabagismo (+)
• Alcoolismo (+)
(+) Associado a outros fatores.

Ginecológicos
• Menopausa precoce sem reposição hormonal
• Primeira menstruação tardia
• Retirada cirúrgica de ovários sem reposição hormonal
• Ligadura das trompas (+)
• Retirada cirúrgica parcial do útero (+)
(+) Risco de diminuição da função ovariana por insuficiência vascular.

Manifestações clínicas
Os sintomas são secundários às fraturas. A fratura vertebral pode ainda não ser observável com precisão em exame radiológico, dificultando o diagnóstico. A paciente se mantém em repouso absoluto nos primeiros dias. Mesmo sem tratamento, a dor diminui lentamente e desaparece após duas a seis semanas, dependendo da gravidade da fratura. Quando a deformidade vertebral residual é grave, pode permanecer sintomatologia dolorosa de intensidade variável ou esta aparecer tardiamente.
Nova fratura vertebral é comum, repetindo-se o quadro clínico. Nas pacientes com dor persistente, esta se localiza em região dorsal baixa e/ou lombar e, freqüentemente, também referida a nádegas e coxas. Nesta etapa da evolução da doença as pacientes já terão sua altura diminuída em alguns centímetros à custa das compressões dos corpos vertebrais e do achatamento das vértebras dorsais.
A cifose dorsal é característica e escoliose (curvatura lateral) lombar e dorsal aparecem com grande freqüência. Com a progressão da cifose dorsal há projeção para baixo das costelas e conseqüente aproximação à bacia, provocando dor local que pode ser bastante incômoda. Nos casos mais avançados, a inclinação anterior da bacia leva a alongamento exagerado da musculatura posterior de membros inferiores e contratura em flexão dos quadris e consequentes distúrbios para caminhar, dor articular e em partes moles. Compressão de raiz nervosa é muito rara.

Diagnóstico
O critério atual para diagnóstico de osteoporose é perda de 25% de massa óssea quando comparada com adulto jovem. Assim, diagnóstico precoce de osteoporose é feito através da densitometria óssea enquanto o estudo radiológico somente mostra alterações inequívocas quando há perda de 30% da massa óssea.

A importância da atividade física
É fundamental estabelecer programas de exercícios que produzem carga sobre o tecido ósseo para a prevenção da osteoporose, desde o início da adolescência, com uma freqüência de pelo menos duas vezes/semana.
Eles devem ser mantidos regularmente, pois sedentarismo leva à perda do que se ganha com exercícios prévios. Os indivíduos não-osteoporóticos também devem ser estimulados a praticar exercícios tais como caminhar e correr. A manutenção de musculatura potente e a destreza que a prática de exercícios e esportes mantém são importantes para a prevenção de quedas.
Mulheres com osteoporose na pós-menopausa devem realizar exercícios físicos preventivos. Ao receber o diagnóstico da doença que evolui com o passar dos anos, em geral, as mulheres procuram atividades físicas nem sempre adequadas, optando muitas vezes por exercícios na água.
Estudos confirmam que a prática de exercícios com peso e impacto, envolvendo grandes grupos musculares e com ação da gravidade, desde que de forma direcionada e supervisionada por especialistas, acaba estimulando o processo de remodelação óssea, melhora as condições musculoesqueléticas gerais, diminuindo os riscos para quedas e, conseqüentemente, possíveis fraturas.
O Pilates, principalmente entre os idosos, tem conquistado cada vez mais destaque como aliado da saúde. “O método de Pilates consiste em uma série de exercícios feitos no solo ou em equipamentos apropriados cuja intenção é trabalhar todos os músculos do corpo de maneira harmoniosa”, segundo estudos.
Os exercícios são graduados de acordo com a capacidade física de cada aluno, sempre levando em consideração suas restrições a determinados tipos de movimentos e assim, para melhorar equilíbrio, força, coordenação motora, flexibilidade, capacidade respiratória, disposição, alívio de estresse, maior percepção dos movimentos, prevenção e diminuição da incontinência urinária devido ao fortalecimento do assoalho pélvico (músculos localizados entre o osso púbico e a base da coluna), alívio de dores crônicas. “O método melhora da auto-estima, uma vez que o idoso consegue realizar uma série de exercícios que até então não se julgava capaz”.

Perguntas chaves
• Na sua alimentação, você se preocupa com a ingestão de cálcio e outras vitaminas importantes para o organismo?
( )Sim ( )Não
• Você pratica alguma atividade física com descarga de peso ou impacto? Se sim, qual a frequência?
( )Sim ( )Não
Frequência:
( )1 vez por semana ( )2 vezes por semana ( )3 vezes por semana ou mais
• Você costuma ir a consultas médicas regularmente, e fazer exames de rotina?
( )Sim ( )Não