A importância do Pilates para reduzir doenças ocupacionais!

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar em doenças ocupacionais, mas elas são um dos principais problemas da sociedade moderna. Trata-se de um grupo de patologias diretamente relacionadas às atividades desempenhadas pelos trabalhadores, devido às condições às quais estão submetidos.

 

Entre as mais frequentes, podemos citar a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) ou os diversos Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (DORT), que contemplam mais de 30 doenças diferentes, incluindo as tendinites, inflamações dos tendões, e as tenossinovites, mesma condição atribuída à membrana que encobre os nervos.

 

Por serem consideradas um dos “males do século”, diversos estudos vêm sendo desenvolvidos em busca de desvendar os segredos e criar maneiras de combater as doenças ocupacionais. É que suas consequências podem ser extremamente negativas, não apenas reduzindo a capacidade produtiva e limitando a atividade profissional do indivíduo, mas podendo chegar, até mesmo, ao abandono da função e à limitação do bem-estar do trabalhador.

 

O Pilates como aliado

 

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2013, mais de 3,5 milhões de trabalhadores possuíam o diagnóstico de LER/DORT no Brasil. Na tentativa de reduzir a estatística alarmante, existem alternativas eficazes, como o Pilates, por exemplo.

 

O método visa estabelecer o pleno condicionamento físico e mental, que trabalha fatores como o equilíbrio, a flexibilidade e o alongamento. Uma das principais preocupações está em manter as diversas curvaturas fisiológicas do organismo humano e o abdômen como um centro de força.

 

As aulas são realizadas tendo como base o conceito da Contrologia, que prevê um controle integralmente consciente dos movimentos musculares. Deste modo, o sujeito pode coordenar corretamente o organismo, a mente e o espírito. Os benefícios atingidos incluem a correção da má postura, a restauração da vitalidade física e a elevação do espírito.

 

Os exercícios de Pilates

 

Os exercícios são classificados, basicamente, em duas categorias: no solo, utilizando o peso do próprio corpo e a força da gravidade como resistência, e aqueles feitos em aparelhos, que se valem de polias e molas para obter o mesmo efeito.

 

A meta não é atingir a fadiga muscular, mas promover centralização, concentração, controle, fluidez e respiração. É tudo muito simples e com poucas contraindicações. As atividades podem ser realizadas no ritmo de cada aluno, com progressão gradual.

A importância do Pilates para reduzir doenças ocupacionais!

Pode ser que você nunca tenha ouvido falar em doenças ocupacionais, mas elas são um dos principais problemas da sociedade moderna. Trata-se de um grupo de patologias diretamente relacionadas às atividades desempenhadas pelos trabalhadores, devido às condições às quais estão submetidos.

Entre as mais frequentes, podemos citar a Lesão por Esforço Repetitivo (LER) ou os diversos Distúrbios Osteomoleculares Relacionados ao Trabalho (DORT), que contemplam mais de 30 doenças diferentes, incluindo as tendinites, inflamações dos tendões, e as tenossinovites, mesma condição atribuída à membrana que encobre os nervos.

Por serem consideradas um dos “males do século”, diversos estudos vêm sendo desenvolvidos em busca de desvendar os segredos e criar maneiras de combater as doenças ocupacionais. É que suas consequências podem ser extremamente negativas, não apenas reduzindo a capacidade produtiva e limitando a atividade profissional do indivíduo, mas podendo chegar, até mesmo, ao abandono da função e à limitação do bem-estar do trabalhador.

O Pilates como aliado

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2013, mais de 3,5 milhões de trabalhadores possuíam o diagnóstico de LER/DORT no Brasil. Na tentativa de reduzir a estatística alarmante, existem alternativas eficazes, como o Pilates, por exemplo.

O método visa estabelecer o pleno condicionamento físico e mental, que trabalha fatores como o equilíbrio, a flexibilidade e o alongamento. Uma das principais preocupações está em manter as diversas curvaturas fisiológicas do organismo humano e o abdômen como um centro de força.

As aulas são realizadas tendo como base o conceito da Contrologia, que prevê um controle integralmente consciente dos movimentos musculares. Deste modo, o sujeito pode coordenar corretamente o organismo, a mente e o espírito. Os benefícios atingidos incluem a correção da má postura, a restauração da vitalidade física e a elevação do espírito.

Os exercícios de Pilates

Os exercícios são classificados, basicamente, em duas categorias: no solo, utilizando o peso do próprio corpo e a força da gravidade como resistência, e aqueles feitos em aparelhos, que se valem de polias e molas para obter o mesmo efeito.

A meta não é atingir a fadiga muscular, mas promover centralização, concentração, controle, fluidez e respiração. É tudo muito simples e com poucas contraindicações. As atividades podem ser realizadas no ritmo de cada aluno, com progressão gradual.

Exercícios de Pilates indicados para o tratamento de tendinites no ombro

Um dos principais motivos que levam pessoas a procurar por aulas em estúdios de Pilates são dores nos ombros. Em geral, esta razão fica atrás somente das patologias na coluna, que igualmente causam mal-estar. O pior é que o problema pode atingir indivíduos de qualquer faixa etária ou gênero, sejam eles sedentários ou atletas.

A boa notícia é que essa situação desagradável que, muitas vezes, limita simples movimentações, como flexões e extensões, pode ser combatida com aliados interessantes e saudáveis: os exercícios de Pilates. O método garante integridade muscular, óssea, das articulações e dos tendões.

 

Lesões nos ombros

O mais comum é que as lesões nos ombros sejam provenientes de atividades esportivas que exigem demais de nosso corpo, como os levantamentos de peso, por exemplo. Mas isso não é tudo. Os problemas também podem surgir através de atividades comuns no dia a dia, como pendurar cortinas ou lavar janelas.

As ocorrências ficam maiores em indivíduos com idade superior aos 50 anos, já que é a partir daí que o tendão supra espinhal passa a sofrer pressão da cabeça do úmero. Isso acarreta na diminuição da vascularização naquela região, isto é, tendinite no ombro, como é popularmente conhecida a condição. Com isso, a realização de determinados movimentos fica comprometida:

  • Abdução;
  • Adução;
  • Circundação;
  • Extensão;
  • Flexão;
  • Rotação externa;
  • Rotação interna.

 

O método Pilates como aliado

As principais funções das aulas de Pilates ao longo do tratamento de patologias nos ombros são trabalhar no recrutamento e fortalecimento dos músculos profundos desta área do corpo. Com isso, o benefício alcançado é o controle do quadro álgico. Tais vantagens somente podem ser alcançadas por meio de exercícios posturais.

Também é importante que as atividades desenvolvidas mantenham o foco nas articulações vizinhas, como as colunas torácica e cervical, já que a ligação muscular acontece por intermédio de cadeias. Desta forma, evita-se cargas compressivas, vícios de postura ou movimentos repetitivos, capazes de gerar uma nova lesão.

Mas, atenção! Apesar de todos estes fatores positivos proporcionados pela prática do Pilates, tendinites e demais doenças nos ombros devem sempre ser acompanhadas por um médico especialista. Jamais se automedique!

Pilates para hérnia de disco, um santo remédio!

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) dão conta de que cerca de 90% da população sofre, já sofreu ou ainda sofrerá com problemas na coluna. No Brasil, a realidade é preocupante: de acordo com informações do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 5,4 milhões de pessoas já obtiveram o diagnóstico de hérnia de disco. Sendo assim, considera-se uma patologia comum, mas capaz de causar danos severos aos pacientes.

Neste contexto, cada vez mais o Pilates vem sendo procurado como uma opção ao longo do tratamento. É um método bastante eficaz, tanto em curto quanto em longo prazo. Os exercícios atuam em todas as fases da hérnia discal, o que acarreta em melhorias nos sintomas e na diminuição das possibilidades de consequências negativas.

 

Por que optar pelo Pilates ao longo do tratamento?

O Pilates costuma ser um método interessante a ser praticado por pacientes que sofrem com hérnia de disco, pois colabora com o alívio das dores causadas pela doença. A partir do momento em que os exercícios começam a ser postos em prática, uma série de benefícios são notados pelo corpo.

Exemplos são a maior tonicidade dos músculos, o aumento na capacidade de flexão das articulações e uma postura mais ereta, alongada e equilibrada. Sendo assim, o indivíduo não apenas passa a realizar uma atividade física completa, como ainda ganha um estilo de vida mais saudável e sem dores.

 

Como se prevenir

Quem já iniciou as aulas de Pilates, ainda deve se atentar a hábitos para evitar que o problema prevaleça. Sua rotina deve ser marcada pela presença de movimentos de alongamento e fortalecimento muscular voltados à região lombar. Antes de levantar peso, a dica é manter os pés ligeiramente abertos, joelhos flexionados e costas retas. Não eleve a carga mais do que esta posição permite.

Há movimentos que devem ser evitados por pacientes com hérnia discal. São eles:

  • Fortalecimento de abdominais em retroversão;
  • Flexão da coluna lombar com rotação, sobretudo com carga;
  • Retroversão pélvica, sobretudo com carga.

Por outro lado, existem movimentos que ajudam a promover o alívio das dores, como:

  • Estimulação do períneo;
  • Extensão da coluna;
  • Fortalecimento abdominal com pelve neutra;
  • Fortalecimento da musculatura paravertebral;
  • Tração axial.

Pilates para idosos com Doença de Parkinson

Pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, pelo menos, 1% da população acima dos 65 anos sofre com a Doença de Parkinson em todo o mundo. Estatisticamente falando, seriam entre 100 e 200 casos a cada 200 mil habitantes.

A patologia é caracterizada por sintomas como tremor dos membros, desequilíbrio, rigidez nas articulações, instabilidade de postura, lentidão para a realização dos movimentos e coordenação motora afetada. No início do quadro, os pacientes apresentam tais aspectos de maneira mais lenta, entretanto, com o passar do tempo, os sinais da doença se tornam frequentes.

Por se tratar de um problema degenerativo, a Doença de Parkinson não tem cura, mas tem tratamento, que visa combater os sintomas e promover qualidade de vida. Com o Pilates, por exemplo, o paciente pode conquistar uma vida mais independente, mesmo que haja a necessidade de se conviver com a patologia por alguns anos.

 

Benefícios do Pilates durante o tratamento

Antes de iniciar as atividades na prática do Pilates, o paciente da Doença de Parkinson passa por uma avaliação mediada por um professor devidamente gabaritado. A medida é tomada a fim de assegurar que o treinamento será eficiente, atendendo às reais necessidades de cada aluno. A partir daí, serão identificadas as deficiências do indivíduo, para garantir o seu desempenho funcional.

A principal meta é promover a redução das alterações motoras provenientes da patologia e, com isso, melhorar a qualidade de vida. A técnica de Joseph Pilates gera no aluno a reeducação dos movimentos, o que auxilia na melhora do quadro e na redução dos sintomas da Doença de Parkinson. As vantagens incluem:

  • Reeducação dos movimentos;
  • Melhora das alterações motoras;
  • Redução dos sintomas colaterais;
  • Fortalecimento muscular;
  • Precisão da coordenação motora;
  • Equilíbrio;
  • Promoção de estabilidade postural;
  • Entre outros.

De uma forma geral, a prática dos exercícios físicos é uma grande aliada ao tratamento da Doença de Parkinson. Nesse contexto, o Pilates ganha ainda mais destaque, por se tratar de uma atividade considerada completa. O paciente sai ganhando tanto no aspecto físico quanto no psicológico.

Para saber mais, entre em contato com a HT Pilates e agende uma aula experimental!

Pilates para osteoporose

Dados da ABRASSO, a Associação Brasileira de Avaliação Óssea e Osteometabolismo, revelam que a osteoporose é um mal que atinge mais de 10 milhões de indivíduos em todo o país. Os pacientes mais comuns são idosos e mulheres na fase pós-menopausa. O estudo indica, ainda, que a patologia acaba por se desenvolver em uma a cada quatro mulheres com mais de 50 anos.

As consequências da osteoporose incluem o enfraquecimento progressivo dos ossos, propiciando a ocorrência de múltiplas fraturas mais facilmente. Outro levantamento interessante é o da International Osteoporosis Foundation (IOF), que aponta que a doença causa mais de nove milhões de fraturas por ano só no Brasil, sendo uma a cada três segundos.

Frente a dados tão relevantes, surge uma boa notícia: a prática do Pilates pode se tornar uma grande aliada no tratamento para a osteoporose!

 

Atividade para fortalecer os ossos

 O Pilates é uma excelente atividade para a promoção do fortalecimento dos ossos. A explicação está no fato de a prática ser considerada de baixa intensidade, isto é, colabora no momento da remodelação óssea. Quando a vibração é muito alta, alguns dos pacientes sofrem consequências como crises de labirintite, tonturas e quedas. Já com o Pilates, tais ocorrências são incomuns.

A atividade é completa e oferece diversos benefícios aos praticantes. Ao realizar a contração muscular, os tendões do aluno promovem uma tração no tecido ósseo, o que gera um estímulo de remodelação. Além disso, no Pilates a musculatura do corpo todo é atingida, tanto superficial quanto profundamente. Vantagens incluem a correção da postura e, consequentemente, a ativação dos músculos que circundam a coluna vertebral.

 

Dicas para manter a saúde em dia

 Existem técnicas específicas que podem ser aplicadas no aluno que sofre com a osteoporose, a fim de auxiliar no tratamento da patologia. Por exemplo, o professor pode sugerir exercícios focados nos membros inferiores, realizados no “cadillac” (Leg Series), com as molas posicionadas sob os pés do praticante.

Durante a execução, o instrutor pode tocar suavemente o aparelho, que vibrará de maneira sutil. Isso vai fazer com que a musculatura trabalhada durante a atividade seja atingida de maneira efetiva. São pequenas atitudes que podem solucionar o problema mais rapidamente.

Pratique Pilates de maneira segura com a HT Pilates. Nossos professores são devidamente capacitados para te atender. Entre em contato!

 

Como o Pilates pode ajudar quem tem hérnia de disco

A hérnia de disco é um problema que atinge diversas pessoas no mundo todo. Só em nosso país, dados recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelaram que há cerca de 5,4 milhões de pacientes. Muitas vezes, esses indivíduos confundem a patologia com uma dor no nervo ciático, mas a verdade é que a hérnia de disco pode comprometer a coluna, estando associada à má postura, às fraturas e outras condições de saúde.
Tratando a hérnia de disco através do Pilates

Existem fatores internos e externos ao organismo capazes de causar uma hérnia de disco. Entre os externos, podem ser listados os esforços físicos em excesso, enquanto nos internos estão questões como a hereditariedade. Sejam quais forem as causas, uma das primeiras recomendações dadas aos pacientes é: tenha cuidado com os movimentos que vai realizar.

Nem sempre a hérnia vai doer ou incomodar apenas nos momentos em que o nervo for tocado. É por isso que a melhor medida a ser tomada é aprender a se movimentar corretamente, a fim de adequar as ações do dia a dia à condição do paciente.

O Pilates é um grande aliado ao longo do tratamento da hérnia de disco, pois promove uma consciência corporal importante para evitar ou minimizar as dores. O ideal é que as aulas sejam construídas com cuidado, de forma personalizada para o cliente que sofre com hérnia de disco.

A aula de Pilates ideal

Durante as aulas de Pilates de um aluno que sofre com hérnia de disco, o ideal é trabalhar o músculo Psoas, um dos mais profundos e estabilizadores do corpo humano. Ele afeta a amplitude dos movimentos, a mobilidade articular, o equilíbrio estrutural e o funcionamento dos órgãos localizados na região do abdômen.

Na condição da patologia, tal musculatura normalmente se encontra “encurtada” e, com isso, enfraquecida. O fortalecimento deve se dar por meio de alongamentos. O quadrado lombar também necessita ser trabalhado, para garantir a diminuição dos quadros de dor.

A ativação da musculatura profunda separa as vértebras, aumenta o espaço muscular e é imprescindível para aliviar as dores causadas pela hérnia de disco. Conheça essas e outras vantagens dos exercícios junto à HT Pilates! Agende, agora mesmo, uma aula experimental.

Está com dor nas costas e nas pernas? O Pilates é ótimo para ajustar a postura e melhorar a qualidade de vida!

Existem vários motivos para dores nas costas e nas pernas. Em muitos casos, elas estão associadas à irradiação no nervo ciático e, além de causarem grande desconforto na região lombar, podem atingir os pés e as coxas.

O Pilates, uma prática para fortalecimento muscular e reeducação da postura por completo, organiza uma série de exercícios para as pernas e para as costas.

Além dos casos que atingem o nervo ciático, muitas pessoas sentem dores causadas pela lombalgia, com a sensação de estar com a coluna “travada”. Outros tantos problemas de dor nas costas e nas pernas são relatados por pessoas que estão na terceira idade, trabalhadores que ficam sentados ou em pé por muito tempo, praticantes de algumas modalidades esportivas que exigem bastante desempenho, entre muitos outros casos.

Não tem como escapar: as costas e as pernas são responsáveis por sustentar o nosso corpo e mantê-lo em equilíbrio e, por isso mesmo, precisam de alongamento, fortalecimento muscular, além de uma postura correta e saudável.

O Pilates ajuda a aliviar a dor nas costas, nas pernas e melhora a qualidade de vida

O tratamento para dores nas costas e nas pernas com o Pilates começa com a reeducação postural. A postura incorreta, que sobrecarrega a região lombar e força demais as articulações das pernas, é a principal responsável pela causa de dor. A prática de alguns exercícios já traz alívio imediato.

No caso de lombalgias, os médicos aconselham o tratamento com Pilates para ajudar na reabilitação do paciente. Os exercícios feitos em equipamentos individuais, com bola e com o apoio de professores com formação na área, são ideais para fortalecer a musculatura, criar a consciência corporal, aumentar a concentração dos alunos e trazer uma série de benefícios, como:

  • Aumento do equilíbrio corporal e da estabilidade da coluna;
  • Realização de movimentos mais precisos;
  • O aluno passa a adotar uma postura correta;
  • O praticante apresenta mais vigor físico;
  • Criação e manutenção da consciência corporal;
  • Flexibilidade com músculos muito bem alongados;
  • Exercícios para fortalecimento muscular.

O resultado do Pilates é ótimo para o alívio das dores nas costas e nas pernas porque a atividade envolve todos os grupos musculares, aumentando o espaço entre as vértebras da coluna e adicionando mais resistência física aos praticantes. Músculos mais fortes sustentam melhor o peso do corpo!

Muitos alunos que iniciaram a prática em busca de qualidade de vida relatam que as dores diminuíram muito ou, até mesmo, sumiram com as aulas regulares de Pilates.

Converse com o seu médico e faça uma visita à HT Pilates.

Você sabe a diferença entre artrite e artrose?

Artrite e artrose são doenças distintas, com causas e tratamento diferentes, porém com sintomas que podem ser iguais, o que costuma causar confusão, fazendo com que as duas condições, que realmente são parecidas, sejam tratadas como uma patologia única.

A articulação é a região onde há conexão de dois ou mais ossos distintos. Como exemplos temos os joelhos, cotovelo, punhos, tornozelo, ombros entre outras. As articulações ao longo do corpo não são todas iguais diferenciando uma da outra. Algumas articulações são ligadas por um tecido fibroso, que cola um osso ao outro tornando imóveis, como osso do crânio. Outras articulações são ligadas por cartilagem pouco moveis como os discos vertebrais que unem as vértebras da coluna e as bem moveis que são ligadas por uma cartilagem e uma bolsa de liquido sinovial permitindo amplo movimento dos ossos, como é o caso do joelho, cotovelos e ombros.

Artrite se diagnostica quando há um processo inflamatório das articulações; quando uma ou mais articulações estão inflamadas.

A artrose, também chamada de osteoartrite, osteoartrose ou artrite degenerativa, é uma artrite que ocorre por degeneração das cartilagens das articulações. A cartilagem é um tecido que serve como “almofada” ou “amortecedor” entre dois ossos. A degeneração da cartilagem na artrose ocorre geralmente pelo envelhecimento da mesma. Outros fatores que contribuem para o aparecimento das artroses são a genética, obesidade entre outros fatores.

Como em qualquer doença articular, os exercícios físicos são muito importantes no tratamento da artrite reumatoide.

O método de Pilates é indicado pois as aulas são planejadas para cada tipo de aluno e se tiver alguma patologia os exercícios serão específicos para esta patologia. O pilates melhora a coordenação motora, o equilíbrio e a força do corpo e abdômen centro do corpo.

As aulas precisam ser sempre dinâmicas com cautela para que o aluno não se canse muito. E o principal é fazer com que o aluno se movimente se mobiliza com os exercícios do método de Pilates.

Obesidade infantil: tratamento pode estar dentro de casa

Segundo a Organização Mundial de Saúde, a obesidade infantil é um dos mais graves problemas de saúde publica do século XXI.

A obesidade esta relacionada a uma série de fatores como hábitos alimentares e atividade física, além de fatores biológicos, comportamentais e psicológicos.

Crianças obesas tem mais chances de se tornarem adultos obesos, e assim mais riscos de  desenvolverem uma série de doenças crônicas, como diabetes e doenças cardiovasculares.

Pai ensinando filho a andar de bicicleta

Ensine hábitos saudáveis ao seu filho

O aumento da atividade física, a redução do sedentarismo e melhora dos hábitos alimentares  continuam sendo forma de prevenção e intervenção na obesidade infantil.

Para isso, é importante que esse incentivo venha de dentro de casa, esse estímulo dos pais é crucial para tirar as crianças do mundo virtual e ajuda-los a criarem hábitos saudáveis que serão levados para o resto da vida.

Existem vários tipos de esportes, assim as crianças devem ser incentivadas a experimentar ate encontrarem o que lhes da maior prazer.

Dicas : Leve a criança a parques e ambientes abertos para que ela possa ter liberdade para  usar skate, patins e  bicicleta por exemplo.

Torne o esporte uma diversão e não somente competição. A competição pode existir porem deve ser adequada a idade da criança.

Seja o exemplo do seu filho!

Foto: Barry Austin/moodboard/Corbis

Foto: Barry Austin/moodboard/Corbis