Os riscos de praticar atividade física depois de comer

Indigestão chamada de dispepsia é um desconforto, com queimação no abdômen superior. Muitas pessoas usam esse termo para descrever os sintomas da azia. A indigestão é um grande inimigo para o bem-estar e a qualidade de vida.

Mas, podemos realizar atividade física depois de ingerir alimentos? Muitas pessoas se perguntam se há perigo em comer e praticar algum esporte qualquer depois. Poder, pode, mas o que vai determinar os riscos de indigestão é a quantidade de alimento ingerido e a intensidade de exercícios a serem feitos, fora ou dentro da água.

O estômago cheio vai precisa de muito sangue para a digestão, então se você resolver nadar ou fizer exercícios de grande intensidade, seus músculos vão exigir muito sangue também. E neste caso, irá acontecer um conflito entre seus músculos e o seu estômago, e nesse conflito, provavelmente, você terá uma indigestão acompanhada de câimbras, o que pode acarretar em problemas graves se você estiver nadando ou correndo.

No caso da natação, a temperatura da água também tem influência. Se o seu corpo está muito quente, calor intenso e você pula na água gelada, seu corpo entra em uma briga com ele mesmo para controlar e regular a sua temperatura corporal, além de tentar fazer a digestão e ainda manter os músculos em atividade. Com toda essa briga seu corpo pode entrar em colapso.

Foto: Push Pictures/Corbis

Foto: Push Pictures/Corbis

Outra coisa importante é a seguinte, nossa digestão começa alguns minutos depois que comemos, portanto, se você acabar de comer e entrar logo na piscina ou no mar, não há sérios riscos, pois sua digestão ainda não começou. Porém, se você deixar passar um tempo e entrar na água uma hora depois, mais ou menos, sua digestão estará em pleno andamento.

O importante de tudo isso é tomar cuidado ao comer e praticar atividades físicas de grandes esforços, como nadar, correr, etc. Isso pode acarretar grandes problemas para sua saúde.

O que comer antes e depois de praticar Pilates ou outra atividade física

Exercício físico todo mundo sabe que faz bem para a saúde. Cada ano ou mesmo cada passar de mês, existem novas pesquisas sobre atividade física e os benefícios que ela nos traz.

Todos deveriam fazer exercícios físicos, com qualquer idade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a prática frequente de uma atividade física reduz muito o risco de morte prematura nos indivíduos e também traz benefícios espetaculares à sua saúde. Como por exemplo, melhora do seu humor, da ansiedade, do estresse e na prevenção de doenças articulares, auxilia da prevenção ou redução da osteoporose e problemas do coração.

A atividade física constante tem uma contribuição muito importante para a manutenção e perda do peso corporal. Durante os exercícios físicos o metabolismo do seu corpo é acelerado, com isso o gasto energético aumenta, tendo a queima de calorias. A maior fonte de energia para o trabalho muscular nos exercícios físicos é a glicose proveniente do fígado. A utilização da glicose ocorre também durante as nossas atividades da vida diária, até mesmo dormindo, quando há aumento da perda da glicose, por isso é importantíssimo a necessidade de nos alimentarmos pela manhã antes de praticar exercício físico. Mas muitas pessoas se questionam o que comer antes e depois dos exercícios, para melhorar o desempenho e a composição corporal.

O que beber?

Bem, o principal de tudo em qualquer atividade física seja caminhada, Pilates ou exercícios de grande intensidade é a hidratação. Atividades físicas de menos intensidade pode-se ingerir apenas água, já em atividades de grandes intensidades as bebidas isotônicas são as mais indicadas pela grande perda de sais minerais.

O que comer?

A glicose é a melhor fonte de energia para o nosso corpo. A glicose tem inúmeras moléculas que são ligadas entre si, produzindo o que chamamos de carboidratos. Para que tenhamos um rendimento melhor nos exercícios de Pilates e outras atividades físicas, antes do exercício físico devemos ingerir uma fonte de energia, que nada mais é o substrato chamado carboidrato.

Os carboidratos são divididos em complexos e glicêmicos. Os complexos são alimentos que contêm fibras, por exemplo, pão integral, aveia e arroz integral. Esses alimentos são fontes de energia e tem o poder de retardar a fadiga nos exercícios. Durante os exercícios é importante a hidratação, por causa da sudorese (suor), quando eliminamos bastante água e sais minerais do nosso corpo. Quando realizamos exercícios físicos por mais de 1 hora, o mais indicado é as bebidas hidroeletrolíticas acrescidas com carboidratos.

Depois do exercício físico, o praticante deve consumir carboidrato novamente, mas esse com alto índice glicêmico como o pão e cereais de milho, para que tenha uma recuperação na energia perdida. Após o treino também é necessária a ingestão de proteínas, para ter uma definição e ganha de massa muscular como também reparar lesões adquiridas no treino realizado. Os alimentos ricos em proteínas encontrados são verduras, legumes, carnes (bovina, frango e peixe), nozes e amendoim, feijão, grão de bico e soja, clara de ovo, leite e seus derivados.

A atividade física é essencial para a nossa saúde, e precisamos estar cientes do que ingerir antes, durante e depois do Pilates ou qualquer outra atividade física para que os objetivos sejam alcançados. O importante para todos que praticam constantemente atividade física ou mesmo quem esteja começando é não parar e sempre consultar um médico, bem como um nutricionista. O qual poderá dar informações relacionadas à quantidade ou porções que podem ser ingeridas, que sejam adequadas para cada tipo de indivíduo.

Nutrição básica: como manter uma alimentação saudável diariamente

Para uma boa alimentação é de suma importância escolher os alimentos certos e nas quantidades certas nas diferentes fases da vida. A nutrição visa equilibrar a qualidade dos alimentos e as quantidades que estes devem ser consumidos.  Os alimentos possuem nutrientes que são substâncias usadas pelo nosso corpo a fim de fornecer a energia necessária para que ele funcione corretamente.

Os guias alimentares mais conhecidos são as pirâmides alimentares. As pirâmides alimentares são esquemas gráficos que distribuem os vários tipos de alimentos e as quantidades em que cada um deve ser ingerido nas refeições diárias, para ser usado como um roteiro para uma alimentação. Um exemplo é a pirâmide americana de 2005 do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos.

Imagem: Reprodução/My pyramid

Imagem: Reprodução/My pyramid

Nela estão representados os grupos de alimentos e o incentivo à prática de atividade física. A base mais larga representa os alimentos que apresentam menores ou nenhuma quantidade de gorduras saturadas e açúcares adicionados, ou seja, que devem ser consumidos mais frequentemente. O topo, mais estreito, representa alimentos contendo mais açúcares e gorduras saturadas, devendo ser consumidos com moderação.

Desmembrando a pirâmide

Atividade física: representada pelo indivíduo subindo as escadas. É recomendado que se pratique atividade física por pelo menos 30 minutos na maioria dos dias, sendo que para crianças e adolescentes essa recomendação sobe para 1 hora todos os dias ou na maioria deles.

Laranja: representa o grupo dos pães e cereais: É recomendado a ingestão de pelo menos 3 porções de pão integral, cereal, alimentos integrais, arroz ou massa todos os dias, dando preferência sempre para os integrais.

Verde: representa o grupo das verduras e legumes. É recomendado uma maior ingestão de verduras verdes escuras, verduras e legumes alaranjados e leguminosas. Esses alimentos apresentam boa quantidade vitaminas e minerais necessários para a boa regulação do organismo.

Vermelho: representa o grupo das frutas. É recomendada a ingestão de uma grande variedade na forma de frutas frescas, congeladas, compotas, desidratas ou secas e sucos. Assim como o grupo verde apresentam boa quantidade de vitaminas e minerais.

Amarelo: representa os óleos e as gorduras. Consumir com moderação. Dar preferência para óleo de girassol, canola e soja.

Azul: representa o grupo do leite e derivados. É recomendado consumir o leite na forma semi-desnatada ou desnatada ou sem gordura. Se não consome ou não pode ingerir o leite preferir os produtos sem lactose ou outras fontes de cálcio (queijos, iogurte, etc.).

Roxo: representa o grupo das carnes e feijões. É recomendado dar preferência para as carnes magras, as preparações cozidas, assadas e grelhadas e, variar nas escolhas, ou seja, consumir mais peixes, feijões, ervilhas, nozes e castanhas. Esse grupo tem como função a construção e a proteção por serem fontes de proteína e substâncias antioxidantes.

Respeitando as quantidades (estreitamento da pirâmide) e praticando atividade física já é um grande passo para levar uma vida mais saudável.

Hipertensão: escolha os alimentos certos

Foto: Corbis

Quem sofre de hipertensão deve combinar a prática regular de atividade física com uma alimentação balanceada, para manter a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida.

Em coscientização da população, no dia 26 de abril, comemora-se o Dia da Prevenção e Combate à Hipertensão. Faça exames regularmente e pratique atividade física.

Os hipertensos devem priorizar alimentos que reduzem o colesterol, a massa gorda e ricos em fibras, essa combinação ajuda na liberação do sistema cardiovascular.

Confira os alimentos que não podem faltar na despensa:

1) Farelo de trigo

2) Morango

3) Semente de abóbora

4) Soja

5) Melancia

6) Batata

7) Oleaginosas

8) Azeite

9) Linhaça

10) Alho

11) Feijões

12) Espinafre

13) Banana

14) Inhame

15) Cenoura

Hipertensão: alimentos que devem ser evitados

As pessoas que sofrem de hipertensão – pressão alta – devem evitar diversos alimentos. O consumo deles pode comprometer sua saúde, bem-estar e qualidade de vida.

No dia 26 de abril comemora-se o Dia da Prevenção e Combate à Hipertensão. Consciência e prevenção são as melhores maneiras de acabr com esse mal.

Os alimentos que devem ser evitados são:

– Sal

– Temperos industrializados

– Condimentos

– Café

– Alimentos gordurosos

– Carne vermelha

– Refrigerantes