Você sabia que o Pilates facilita a atividade de parto?

A gestação é um momento mágico na vida da mulher, e pode se tornar ainda mais especial e plena com a prática de uma atividade física como o pilates. O método é perfeito para as gestantes e vem sendo amplamente indicado pelos médicos, pois melhora a saúde da mãe e do bebê.

A recomendação é que a gestante converse sempre com seu médico e obtenha a liberação para praticar a atividade a partir do terceiro mês de gravidez. Para isso, é importante que o responsável pelo pré-natal não constate nenhuma contraindicação médica que impeça a atividade.

Quando praticado entre o terceiro e o sétimo mês de gravidez, o pilates pode contribuir muito para as condições gerais de saúde da mãe e pode, até mesmo, facilitar a atividade do parto! Os movimentos do pilates fortalecem o corpo, controlam o ganho de peso, aliviam dores decorrentes da gestação e melhoram a postura da futura mamãe.

Além disso, o pilates também ajuda no sentido de aliviar câimbras e minimizar os incômodos inchaços da gestação. No momento do parto normal, os principais benefícios do pilates estão relacionados ao controle da respiração, à consciência corporal e ao preparo dos músculos do assoalho pélvico.

A técnica também prepara a mãe para se sentir mais relaxada e pronta para o parto, e contribui para aliviar a ansiedade, tão frequente durante essa fase.

Como é o pilates durante a gestação?

Durante a gravidez, a prática do pilates foca os exercícios de respiração, os exercícios isométricos para a coluna, que evitam dores na região lombar, e outras atividades leves e personalizadas. O método melhora o alongamento e a flexibilidade da gestante e ainda ajuda no pós-parto, fazendo com que a mamãe se recupere mais rapidamente.

Converse com o seu médico e faça uma visita à HT Pilates. Aqui, você vai encontrar professores com formação internacional e totalmente preparados para te guiar pela prática do pilates durante a gestação!

Pilates aumenta o contato das mães com os bebês durante a gestação

O pilates já se tornou uma prática comum para as grávidas. Muitas das futuras mamães procuram essa atividade para melhorar a gestação e trazer benefícios para o bebê.

Hoje em dia, diversos médicos indicam o pilates durante os meses de gestação, pois a prática regular ajuda a aproximar a mãe do bebê, além de permitir que a grávida tenha um momento único de contato ativo e intenso com a criança.

Confira os principais benefícios do pilates para as grávidas:

  • Aumento de chance de um parto normal;
  • Diminuição do inchaço durante a gestação;
  • Diminuição das dores nas costas causadas pelo bebê na barriga;
  • Fortalecimento do músculo da mãe.

Também existem outros benefícios diretos do pilates para a futura mamãe. São eles:

Melhora na respiração: o pilates é um verdadeiro aliado na respiração. Ele é muito útil para as grávidas que sofrem com a dificuldade respiratória durante a gestação.

Maior circulação do sangue: um fator que pode ajudar bastante a mulher na gravidez é o aprimoramento da circulação sanguínea.

Incontinência urinária: esse problema é comum entre as grávidas, mas pode ser controlado com a prática regular do pilates.

Aumento da flexibilidade: outro fator muito útil para a grávida, e que também pode ajudar a mamãe após o nascimento de seu bebê.

Fortalecimento da musculatura: ter músculos mais fortes e resistentes é positivo durante a gravidez e também no pós-parto.

Auxilia as contrações abdominais: a melhora nas contrações pode auxiliar a grávida no momento do parto.

Controle do peso: a grávida tem um maior controle do seu peso com a prática do pilates e, consequentemente, o bebê se desenvolve corretamente e mantém um peso adequado.

Ficou interessada no pilates? Preencha nosso formulário e venha fazer uma aula experimental na HT Pilates.

Gestante, o Pilates é perfeito para você manter a forma

O método Pilates tem como objetivo principal manter a consciência no movimento e no corpo. O método é capaz de trazer flexibilidade, força e equilíbrio a quem pratica. O Pilates é recomendado para todas as pessoas, desde crianças até idosos, portanto as gestantes não podiam ficar de fora.

Estar grávida não significa se abster de treinar e praticar exercícios, pelo contrário, com uma série especial para cada tipo de gestante, levando em consideração as particularidades de cada uma, é prazeroso e necessário manter o ritmo de treinamento durante a gestação.

A série de exercícios é feita a fim de evitar varizes, hemorróidas e dores, além de ajudar a aumentar a auto-estima, manter os níveis de condicionamento físico e preparar o corpo para as exigências físicas da maternidade.

O corpo da mulher passa por muitas mudanças durante a gravidez e os exercícios devem ser adaptados e modificados conforme a gravidez avança.

O perfeito no Pilates é que o método pode ser individualizado para a capacidade de cada um.

Hormônios

A mulher quando engravida passa por um processo delicado de mudanças hormonais, que reflete no físico de maneira gradativa de acordo com o crescimento da barriga. A cada mês o peso e o equilíbrio do corpo devem ser ajustados para evitar lesões e sobrecarga em determinados músculos.

O Pilates ajuda a gestante a manter o corpo flexível, com os músculos alongados, principalmente das regiões pélvica e costas, já que são as mais sobrecarregadas para sustentar o peso da barriga. A mudança de hormônios leva ao afrouxamento dos tendões, aumentando as chances de lesão, mas com músculos fortes e alongados essas chances diminuem bastante.

O método

Postura, equilíbrio e força são primordiais para a gestante manter a forma durante a gravidez e voltar ao seu peso e alongamento normais em pouco tempo depois do parto. Esses três fatores são largamente trabalhados no Pilates através do fortalecimento dos músculos com exercícios controlados e sem sobrecarregar uma região do corpo em detrimento de outra.

A barriga e os músculos do assoalho pélvico são trabalhados, sendo ajustados à medida que o bebê cresce. Ao mesmo tempo, em que as articulações são trabalhadas para manterem-se estáveis para evitar lesões. Isso acontece porque os músculos da barriga vão esticando à medida que o bebê cresce, o que leva à dor nas costas, principalmente lombar, e/ou pélvica. Com o enfraquecimento dos músculos do assoalho pélvico, órgãos como intestino, bexiga e útero (ventre) mover-se mais abaixo na pélvis sob o peso do bebê. Devido a isso, pode ocorrer vazamentos pequenas quantidades de urina ao tossir ou espirrar, ou sentir uma sensação de peso baixo.

Com o Pilates toda a região pélvica, costas e barriga é fortalecida, pois todos os músculos, inclusive os mais profundos são trabalhados. Além disso, o método trabalha com o equilíbrio em cada fase da gestação, trazendo conforto, bem-estar e sensação de prazer para mamãe e bebê.

Treinos e horários durante o primeiro trimestre devem ajustados de acordo com os níveis de fadiga. Ao longo da gravidez a demanda sobre os músculos abdominais deve ser diminuída.

Parto

O fortalecimento proporcionado pelo Pilates ajuda mãe e bebê na hora do parto, pois com músculos fortes, a mãe é capaz de ter maior controle para ajudar no nascimento de forma segura.

Se a pessoa não praticar Pilates antes da gravidez?

Se você não praticava Pilates antes de ficar grávida, esteja atenta às indicações de seu médico, pois, principalmente nos primeiros meses, há riscos de o feto descolar-se da placenta.

As aulas

As aulas de Pilates para gestante são similares às aulas para outros públicos, mas com algumas recomendações. A gestante não deve de maneira nenhuma realizar exercícios com o peso sobre a barriga.

Ao sentir qualquer desconforto ou dor, cesse o exercício imediatamente e comunique ao professor. O planejamento da aula é elaborado levando em consideração o histórico da gestante, seu condicionamento físico, doenças pré-existentes, costume de fazer exercícios, etc.

Visto que o corpo de cada mulher é diferente e responde de maneiras diversas, há exercícios que são bastante apropriados para algumas pessoas durante a gravidez e não para outras. Durante uma gravidez normal e saudável, o exercício moderado é seguro para o bebê.

Os exercícios de alto impacto não podem ser realizados. Assim como aqueles nos quais há risco de queda. Deve-se evitar os alongamentos pesados, para proteger os ligamentos, que ficam mais soltos nessa fase. Por esta razão, você deve ter cuidado para não super-estender. É importante continuar a reforçar e reequilibrar os músculos ao redor das articulações – apoiar o corpo quando ele passa por alterações posturais relacionadas com a gravidez.

O instrutor deve estar apto a atender gestantes para elaborar a série de exercícios adequada. Além disso, a gestante deve realizar exames médicos, seguir as recomendações de seu obstetra e levar todos os exames necessários no primeiro dia de aula.

É claro, beber muita água, evitar esforço excessivo e sobreaquecimento são sempre importantes.

Foto: Internet

Foto: Internet

Foto: Internet

Foto: Internet