Conheça os exercícios de pilates realizados no Reformer que mais fazem sucesso entre os alunos!

Você já conhece o Reformer? Este é um grande equipamento empregado nos treinos de Pilates, que faz lembrar uma cama deslizante de molas. Sua utilidade é enorme, já que é capaz de trabalhar a musculatura do corpo todo, nas posições horizontal, sentado, em quatro apoios e em pé.

A pessoa que pratica Pilates no Reformer é possibilitada de realizar uma ampla variação de exercícios, que ajudam o desenvolvimento humano em várias fases da vida. Os benefícios podem ser observados em aspectos como flexibilidade, condicionamento físico e reabilitação.

A estrutura do Reformer

O equipamento é bastante semelhante a uma cama com rodas. É formado por molas, alças, barras de apoio para pés e mãos e ombreiras removíveis, além de um carrinho deslizante. Cada um dos componentes atua de uma forma diferente no corpo, através de exercícios praticados pelo indivíduo deitado de frente ou de costas, ajoelhado, apoiado ou sentado.

É importante que o praticante se certifique de que está praticando a modalidade em um estúdio seguro e de confiança, já que quando o Reformer não é de boa qualidade, pode gerar dores e desconfortos.

Elephant

Elephant é um dos exercícios mais populares entre os alunos que praticam Pilates. Em pé, de frente para a barra de pés, apoie seus calcanhares nas ombreiras do equipamento. Certifique-se de que suas mãos estejam bem apoiadas na barra de pés e estenda as pernas e os braços, promovendo um prolongamento do corpo. Em seguida, estenda o quadril, sem que os calcanhares percam o contato com o aparelho. Olhar para a borda do carrinho enquanto realiza o movimento é fundamental para auxiliar no bem-estar da coluna cervical.

Side Split Stretch

Posicione um de seus pés apoiado na ombreira do Reformer, mantendo o quadril abduzido. O outro pé deve ficar no solo, sustentando o quadril em rotação externa. Em seguida, apoie uma das mãos no carrinho e a outra na lateral do equipamento. Ao mesmo tempo em que realiza a flexão dos cotovelos e mantém a coluna neutra, realize a abdução do quadril.

Os benefícios dos exercícios de Pilates feitos no solo

Quem disse que Pilates é um método composto apenas por exercícios complicados? Nada disso! Além de proporcionar grandes benefícios à vida de todos, as atividades ainda podem ser praticadas por pessoas de qualquer faixa etária, de maneira rápida e simples.

Os exercícios de Pilates no solo, por exemplo, são práticos e podem ser realizados em qualquer lugar ou hora do dia. Por não exigirem o auxílio de aparelhos para sua execução, as atividades necessitam somente da força do próprio indivíduo.

Mas, afinal, o que é o Pilates Solo?

As técnicas trabalhadas em Pilates Solo são as mesmas empregadas nas demais variantes do método originalmente desenvolvido por Joseph Pilates. Entretanto, trata-se de desafios enfrentados pelo próprio corpo, sem o auxílio de aparelhos. Com isso, a variedade de atividades oferecidas ao praticante é bem maior.

Alguns dos aspectos trabalhados durante o treino são o alongamento, o equilíbrio e a força muscular. A execução não é difícil, mas requer um pouco de treino. Por isso, os exercícios são divididos entre os níveis inicial, intermediário e avançado.

Conheça alguns movimentos fáceis de Pilates feitos no solo!

1) Roll Up

Para a execução do Roll Up, deite-se com a barriga virada para cima. Em seguida, com o corpo estendido, contraia a musculatura da região dos glúteos, pressione uma perna contra a outra e mantenha os pés em flexão plantar, isto é, com os calcanhares juntos e dedos separados.

Na sequência, inspire enquanto eleva os braços em direção ao teto e expire ao iniciar o movimento pela cabeça, sempre olhando para as pernas. Levante a coluna torácica, mantendo os braços à frente, na linha das orelhas.

Para retornar, inspire e expire voltando à posição inicial. O movimento pode ser repetido de três a cinco vezes.

2) The One Leg Stretch

Sente-se mantendo os joelhos flexionados em 90 graus, com os pés em flexão plantar. Com os braços, envolva os tornozelos, com os cotovelos para fora e glúteos contraídos. Segure uma perna, na região do tornozelo. Realize a descida do tronco, vértebra por vértebra, sem deixar que o tronco superior perca a elevação. Troque as pernas expirando. O movimento pode ser repetido de cinco a dez vezes.

3) The Saw

Sente-se com a coluna neutra, mantendo as pernas estendidas no solo e abertas no ângulo da pelve. Estique os braços, para que fiquem abertos na linha dos ombros e pés em dorsiflexão. Gire o tronco para a direita. Depois, expire flexionando a coluna para frente, com a cabeça em direção ao joelho. Faça a mesma sequência para o outro lado, em até cinco repetições.